N
07
ago
2012

Hellboy: Máscaras e Monstros | Não tão bom, nem tão ruim

Gibas
//
Sem Comentários

Sem querer ser pretencioso ou algo do tipo, eu talvez deva ser um dos maiores admiradores do trabalho de Mike Mignola no Brasil. Sendo assim você deve estranhar o título do post e esta afirmação, mas é mais fácil ainda de entender o porque do título quando eu lhe falar que em Hellboy: Máscaras e Monstros, nenhuma das duas histórias ,dessa edição histórica volume 5, é totalmente de Mignola.

A primeira história, que envolve Hellboy, Batman e Starman contra nazistas malucos que querem trazer para a terra uma criatura grotesca interdimensional ou do inferno, o que estiver mais perto, é apenas desenhada por Mignola, o que é excelente, pois o trabalho de Mignola é espetacular. Na página 55, Mignola mostra como ele é capaz de dar a noção do todo usando muita sombra e poucos traços. Ler uma HQ de Mignola é sempre uma aula sobre desenho e de que menos, muitas vezes pode ser mais. E você ainda poderá apreciar a versão de Batman pelas mãos de Mignola, que é bem legal ver o Batman com os traços de Hellboy.

A segunda história, bem melhor do que a primeira e criada por Mignola, é desenhada por Scott Benefiel, que não compromete o argumento do autor, até porque ao final desta edição Mignola explica que durante a criação desta história que envolve Hellboy, Fastasmas e a chave que é sua Mão Direta, o autor fazia esboços de todas as páginas e enviava para Scott, pois esse era o único jeito que ele sabia contar como queria que as coisas acontecessem quadro-a-quadro. Scott obviamente não teve muito espaço para criação, então pode se dizer que esta história foi escrita e desenhada por Mignola, só que por outra mão (deu pra entender?).

Acredito muito que talvez eu tenha me decepcionado um pouco com essa HQ não só por ter artistas convidados, mas pelo que eu havia lido antes, que foi Hellboy: A Caçada Selvagem, que continua a história do herói e sua caminhada rumo ao destino certo que é o inferno. Já as duas histórias apresentadas aqui não levam a lugar nenhum, a saga de Hellboy continua parada e ele fez apenas duas viagens para resolver pequenos problemas comparados com o apocalipse que ele mesmo está predestinado a lançar sobre a terra. Para quem ama Hellboy, coleciona ou já tem as outras edições históricas que saíram no Brasil, esta é uma HQ indispensável, já você que está começando agora, tenha certeza de que há coisa muito melhor do Mignola nas preteleiras. Uma dica, comece do início.

É isso pessoal. Espero que se divirtam com Hellboy, assim como eu e da próxima espero trazer para vocês uma HQ mais interessante de nosso homem-macaco do inferno.


>> Comentários