N
21
ago
2012

O sombrio e confuso lado “Dark” do Universo DC

Gibas
//
Sem Comentários

Continuando minha corrida para tentar ler todas as primeiras edições que saíram no Brasil dos Novos 52 da DC, cheguei até a revista Dark, que no Brasil é um mix das edições americanas onde pretende-se reunir as histórias mais sombrias desse novo universo DC.

O problema todo é que este lado sombrio parece mais confuso e menos assustador. É claro que temos medo do desconhecido e do inexplicável, mas nas histórias de Dark, existem coisas tão inexplicáveis que fica muito difícil sentir medo e até perceber realmente a magnitude da ameaça apresentada fica um pouco complicado.

A seguir farei uma breve sinopse de cada uma das histórias e dentro delas terão alguns apontamentos e críticas. Preparem-se para a confusão.

Justice League Dark 1: Diversos acontecimentos bizarros por todo o mundo, todos inexplicáveis e aparentemente sem conexão. Sobra para a Liga da Justiça resolver o problema. Rapidamente sabe-se que a causadora de tudo é a Feiticeira, que logo entra em combate com uma parte da equipe super-heroica e vence facilmente (o Superman estava nesta briga). Por se tratar de mágica, sobrará para Zatanna e Constantine resolverem o problema. Apesar de nada ser explicado, como o por que da Feiticeira estar atacando o mundo inteiro, esta história começando bem e estou ansioso pelo que virá.

Animal Man 1: Fora do “serviço” de super-herói e vivendo a vida de marido e pai, o Homem Animal (capaz de acessar a “teia da vida” e utilizar as caracteríticas de diversos animais) decide atender um chamado. Após um pouco de discussão matrimonial ele alça voo e parte rumo ao problema. Após controlada a situação, o olhos do Homem Animal começam a sangrar, sem explicação, e um pouco depois – já em casa – ele vê sua filha trazer à vida a carcaça de animais mortos. Com tudo em aberto para a promoção edição terei que aguardar. Gostei!

Resurrection Man 1: Dado como morto, Ressurreição acorda em um necrotério sem lembrar de seu passado. O personagem, a cada vez que “acorda”, é inexplicavelmente compelido a trajetos e destinos que ele não sabe o porque, mas sabe que deve segui-los e junto com cada nova ressurreição ele ganha um novo poder, primeiro foi a capacidade de manipular a eletrostática e depois de se transformar em líquido (sim, ele ressucita 2 vezes em 20 páginas). O conceito do personagem me parece muito bom, mas a história deixa a desejar, anjos da morte tentando capturar a alma do personagem pois ele está vivo a tempo de mais e sua alma é muito valiosa?!? Sei não hein. Se continuar nesta história, estilo Constantine, acho difícil eu gostar.

I, Vampire 1: Totalmente sem explicação, tanto que é difícil fazer uma sinopse, pois não tem um enredo confuso como o desenho também não ajuda em nada, são sem sequência e em alguns quadros de ação é bem difícil definir o que está acontecendo. Mas depois de ler a primeira edição parece o casal de vampiros Andrew e Mary estão em crise, após séculos de convivência Mary decidiu tratar os humanos como alimento e declarar guerra a sociedade, enquanto Andrew permanece na posição de convivência pacífica, indo de encontro aos interesses e exércitos recém montados de Mary. Se esta história tivesse desenhos mais explicativos e se os vampiros não virassem lobos, eu até poderia tentar o esforço da compreensão de tal obra.

Swamp Thing 1: Ah sim, um personagem que é adorado por muitos, voltando ao universo tradicional da DC, desde o final de Dia Mais Claro sua volta era aguardada e agora ele esta aí! Após alterações naturais em escala global, o Superman sai a procura de Alec Holland, outrora o alter ego do Monstro do Pântano, agora apenas um humano normal. Após explicar ao Superman que ele não sabe nada sobre os acontecimentos, Alec tem um encontro com outro monstro do pântano que explica que a explosão que achávamos ter transformado ele no monstro, na verdade impediu que o Verde (entidade que protege o planeta) completasse o processo. Atormentado com as lembranças de uma vida como o Monstro do Pântano que não viveu, Alec agora tem que decidir se quer ou não se tornar o monstro novamente, completando o que era para ter acontecido tempos atrás e assim poder ajudar o planeta contra o que está por vir. Expectativas ótimas para a continuação, bons desenhos com diagramação que acrescenta à leitura e um bom roteiro, revelações e mistério na dose certa. Sem esclarecer tudo e explicando o necessário para aquele gostinho de quero mais.


>> Comentários