N
10
set
2015

Fábulas e a Cinderela

1berto
//
Sem Comentários

spyDecidi começar esse post com uma afirmação bem simples: “Todo mundo deveria ler Fábulas até o volume 10.” Mas por que apenas até o volume 10? Porque toda a saga foi pensada para ser concluída no volume 10 (nos EUA isso é a edição 50). Bill Willingham conseguiu algo difícil: manter alta a qualidade de uma série em quadrinhos por muito tempo. E conseguiu isso porque sua história já estava planejada, o roteiro todo amarrado e bem feito. O volume 10 finaliza uma etapa de Fábulas que daria um fim perfeito para a série, (por mim deveria concluir ali) e tudo o que veio depois foi pior.

A verdade é que, infelizmente, Fábulas nunca conseguiu retomar seu nível de qualidade. Exceto por uma ou outra história isolada. Ironicamente isso aconteceu recentemente com o lançamento de Cinderela – da Cidade das Fábulas com Amor. Por que ironicamente? Porque não foi escrita por Bill Willingham, mas por Chris Roberson (iZOMBIE) com arte de Shawn McManus. Cinderela teve participações importantes em algumas histórias da série trabalhando como uma agente secreta que finge ser uma socialite fútil, porém, a personagem estava sumida já havia algum tempo. Para quem nunca leu as edições antigas basta saber que ela é tipo o James Bond da Cidade da Fábulas, e essa faceta dela é o foco de suas histórias solo.

Seu encadernado lançado recentemente surpreendeu porque foi capaz de preservar toda a atmosfera que fez a série ser tão bacana e ao mesmo tempo nos apresentar uma história cheia ação, com pitadas de humor e um roteiro interessante. Outro ponto forte é aparição de personagens das fábulas que até então não tinham dado as caras. Não vou falar quem são para evitar spoilers. O encadernado custa R$21,90 (tá honesto) e vale muito mais a pena do que o segundo volume de As Mais Belas Fábulas, que foca na Rapunzel, mas isso já é outra história.


>> Comentários